Highslide for Wordpress Plugin

Av. Jacaúna, 2517 - Jardim Ouro Verde - Campinas/SP | (19) 3226.0048 | E-mail: pstoexpedito@gmail.com

Notícias da paróquia › 16/04/2014

Quinta-feira Santa

A Quinta-feira Santa abre solenemente o Tríduo Pascal. É o dia da entrega. “Antes da festa da Páscoa, Jesus sabia que tinha chegado a sua hora” (Jo 13,1a). Jesus se entrega à violência humana, será torturado impiedosamente, crucificado como um bandido, sepultado às pressas. Ele se entrega livremente para que, com sua morte, todos tenhamos vida em plenitude.

Duas Celebrações são realizadas neste dia.

Na parte da manhã é celebrada apenas uma Missa. Em Campinas será às 09h00, na Catedral Metropolitana, presidida por Dom Airton José dos Santos, Arcebispo Metropolitano de Campinas, e concelebrada por todos os padres da Arquidiocese, em sinal de unidade do presbitério com o Bispo, sucessor dos Apóstolos. É uma Missa riquíssima em simbolismo, pois nela acontece:

a)      a Bênção dos óleos do Batismo e para a Unção dos Enfermos e a Consagração do óleo do Crisma. Esses óleos serão usados durante todo o ano na administração dos sacramentos;

b)      a comemoração da Instituição do Sacerdócio, com a renovação das promessas sacerdotais.

À noite, depois do pôr do sol, são realizadas missas ou celebrações, relembrando a última ceia que Jesus tomou com seus Apóstolos, em preparação à Páscoa. Durante a Ceia, Jesus surpreendeu a todos ao se levantar e lavar os pés de cada um dos Apóstolos, mostrando que a autoridade só pode ser entendida como serviço aos outros. Na comunidade cristã existem diferentes ministérios, mas todos devem estar a serviço para que se viva o amor mútuo. Depois da purificação, Jesus instituiu a Eucaristia, repartindo o pão e o vinho, transformados em seu Corpo e Sangue. Depois da Ceia, Jesus saiu com seus discípulos e foi para o outro lado do riacho do Cedron, onde havia um jardim. Judas Iscariotes também conhecia este lugar e levou uma tropa e alguns guardas dos chefes dos sacerdotes que prenderam Jesus e o levaram para Anás, começando, assim, o seu calvário.

A Missa da Quinta-feira não termina com a bênção. Depois da Missa, faz-se a transladação do Santíssimo Sacramento para um altar lateral ou para um local apropriado, onde acontece a adoração ao Santíssimo. Feita a transladação, procede-se à “desnudação do altar”. Lembrando a prisão de Cristo, sua humilhação no julgamento diante de Anás, Caifás e Pilatos, são tiradas as toalhas, flores do altar, do tabernáculo e as imagens. As que não podem ser retiradas, devem ser cobertas com pano roxo.

1704

Imprimir